O combustível para a CoCriação de projetos 

 

Para cocriarmos projetos que façam a diferença para nós e para os outros, precisamos direcionar corretamente nossa energia cocriativa.

 

Os dois maiores “ativos” que temos são: NOSSA ENERGIA e NOSSO TEMPO. “Um consumirá o outro se não estiverem em equilíbrio”.

Ambos precisam ser administrados e dosados de forma que permitam nos direcionar para atividades que contribuam de fato para a realização do nosso propósito.

 

O propósito está em fazer algo que proporcione autorrealização.

“O ego quer a sobrevivência, a alma a realização”.

Se você está utilizando o seu tempo para observar situações negativas, sua energia está sendo mal empregada e logo se sentirá esgotado e estressado. Isso significa que o seu combustível está acabando, se não fizer nada a respeito, a instabilidade física e emocional começará a “tomar forma”.

 

Quais são as principais “formas” da instabilidade física e emocional?

Falta de vontade de se mover, seu corpo não quer fazer nada e irritabilidade, porque você está atuando contra a sua própria natureza.

Entenda como situações negativas: trabalhar em algo que não gosta, falar mal das pessoas, reclamar das situações que precisa resolver, focar nos problemas externos, encaminhar mensagens ofensivas, realizar atividades por obrigação, culpar as pessoas e a si mesmo.

 

Ao longo da minha jornada, atuei como gerente de projetos de uma empresa de consultoria e me deparei com um diretor que disse: “ .. temos aqui um projeto com problemas, há cinco anos está parado, somente gerando custos e prejuízos para a empresa, veja o que você pode fazer com ele..”.  

Então “abracei a causa”. Adorava encontrar soluções, este foi sempre o meu foco. Dissequei o projeto e fui distribuindo as partes para as diversas equipes. A empresa tinha um chamado “pool de recursos”, consultores de todos os níveis de conhecimento e muitos gerentes não faziam bom uso dos profissionais disponíveis.

 

Veja como tudo pode ser resolvido, depende da nossa intenção, percepção e definição do resultado que queremos alcançar.

“.. passados 5 meses já tínhamos 80% dos problemas sanados, os gerentes anteriores não o fizeram porque julgavam que deveria ser difícil pelo tempo em que o projeto estava sem solução. Em conversa com estes gerentes, eles afirmaram que não se sentiam motivados para atuar num projeto com problemas antigos”.

 

A estratégia que adotei foi bastante simples, porém demandou um direcionamento correto da minha energia e da equipe para que produzisse o resultado esperado.

Focando 100% da nossa energia em eliminar as pendências e distribuindo as atividades para as pessoas corretas, conforme seu nível de conhecimento e experiência para determinada pendência, 80% das questões foram sanadas, restando apenas 20% que representavam atividades que de fato não estavam sob a minha autoridade como gerente de projetos, sendo então escaladas para um nível de diretoria.  

 

Fazendo uma analogia com as nossas vidas. Tudo ocorre da mesma forma. Adiamos e postergarmos situações que muitas vezes são simples de serem resolvidas, mas por falta de atitude colocamos “embaixo do tapete”.

 

Focar a energia na sobrevivência é manter-se na roda do rato, ou seja, você precisa permitir que essa energia suba e então torne-se cocriativa.

Quando surgir uma oportunidade de um projeto com problemas, faça o exercício, assuma que irá transformar o negativo em positivo. Este é um exercício que faz desenvolver nossa energia cocriativa.

 

No próximo artigo, estarei abordando os CINCO “Cs” da Energia CoCriativa: 1 – Conexão, 2 – Conhecimento, 3 – Cooperação, 4 – Co-prosperidade e 5 – Coexistência.