Os Cinco “Cs” da Energia CoCriativa: 1. Conexão, 2. Conhecimento, 3. Cooperação, 4. Co-prosperidade e 5. Coexistência.

A energia cocriativa está a nossa disposição, não precisamos nos esforçar para acessá-la. O que determina a forma como nossa consciência responde e então assume algo como verdade, está nas nossas crenças.

A “roda do rato” persiste para àqueles que não assumiram de fato o comando dessa energia. Se focamos em algo que converge para a realização de nossos projetos, nossa energia cocriativa será “bem empregada”. Ela fluirá e então ideias, informações, fatos, situações e pessoas aparecerão para validar o caminho que estamos construindo.

“Somos cocriadores da nossa realidade”.

Podemos dizer que a energia cocriativa depende em parte da nossa:

 

1. Conexão:

Precisamos reconhecer nosso poder interior, o poder do nosso espírito. No universo tudo é energia e está em movimento. Precisamos manter nossa vibração elevada para que possamos permitir que está energia nutra nossos corpos (físico, mental, emocional, espiritual e energético).

Muitas vezes tomamos a ação de determinadas situações desconsiderando este alinhamento, pois o mundo atual exige uma certa “velocidade” e assim acabamos por empregar o nosso principal combustível em atividades que não contribuem com o nosso propósito.

 

“Atuei num projeto onde os membros da equipe depositavam no consultor toda a responsabilidade pelos resultados do projeto. Isso despendia muita energia da minha parte na busca de soluções e atendimento das expectativas de diversos envolvidos. As soluções apareciam, porém o desgaste energético era desproporcional. Atendia as expectativas, mas a um preço bastante alto, até que percebi que não direcionava esta energia cocriativa de uma forma adequada”.

Dessa forma, precisamos buscar:

 

2 – Conhecimento.

É necessário compreender como este processo ocorre. O autoconhecimento permite que você faça essa energia trabalhar a seu favor.

Lembre-se: Os dois maiores “ativos” que temos são: NOSSA ENERGIA e NOSSO TEMPO. “Um consumirá o outro se não estiverem em equilíbrio”.

Na fase inicial de um projeto é natural um gasto maior de energia, pois as ideias e informações ainda estão em fase embrionária, porém ao focalizar em pequenos resultados diários, começará a trabalhar o direcionamento dessa energia na produção de algo concreto.

 

Estabeleça recompensas a si mesmo, por cada “meta” alcançada. A percepção de que está progredindo no projeto é fundamental, pois te encoraja, liberando assim mais energia para que continue no processo.

 

Quando o cérebro entende que é bom para você, o hábito será instalado.

Nós temos total responsabilidade pelas nossas ações. Os comandos acionados pela nossa consciência terão que ser validados na prática, ou seja, tudo o que afirmar como verdade aparecerá no seu mundo material.

O momento atual sinaliza mudanças profundas na forma como realizamos nossos projetos.

A necessidade de desenvolvermos novos serviços e produtos determinará uma nova forma de cocriamos nossos projetos. Consequentemente lidarmos com a energia cocriativa será um grande diferencial.

A concorrência dos mercados imposta por um “velho paradigma”, àquele onde se fazia necessário o confronto de perdedores e vencedores, está dando lugar a um modelo colaborativo onde todos ganham. Isso já pode ser visto em diversos setores da economia, em especial o setor de serviços.

 

3 – Cooperação

Na relação ganha-ganha a energia cocriativa está a serviço de todos, facilitando que os resultados sejam produzidos de forma direta, objetiva e transparente.

Novos produtos e serviços são colocados à disposição dos mercados com maior velocidade, produzindo ganhos mais rápidos para todos os envolvidos.

Tais produtos e serviços facilitam a vida diária das pessoas, como por exemplo, os Bancos digitais.

 

Quando todos os envolvidos se beneficiam de projetos cujos produtos e serviços visam o bem comum, temos um direcionamento adequado da energia despendida para a produção, comercialização e consumo de tais bens.

 

Dessa forma, os beneficios podem ser estendidos por toda a cadeia produtiva, a chamada:

 

4 – Co-prosperidade

Os modelos de negócios iniciam um processo de conexão de propósitos, proporcionando a cocriação de projetos com maior amplitude, por meio de um crescimento sustentável.

 

5 – Coexistência

O caminho para um ecossistema sustentável e que de fato não impeça o progresso das próximas gerações exige uma mudança de paradigma. Uma nova visão da realidade.

 

Portanto a mudança deve ocorrer na própria consciência do ser humano. O ser humano precisa assumir a autorresponsabilidade pelas ações tomadas.

 

A partir desta decisão sua jornada poderá ser modiificada a qualquer momento. A criatividade faz parte do indivíduo, é inata.

 

Permita que a energia cocriativa direcione seus projetos. “A CoCriação é a chave que todos temos para transbordar nossos inventos”.

 

Acesse: PROGRAMA TRANSFORME. Mentoria focada na transformação de pessoas e projetos.