Como identificar um cocriador de projetos? Será que estamos conscientes de quem somos?

Quais são as habilidades do cocriador de projetos. Pensamento criativo, colaboração, resiliência, empatia, capacidade de analisar múltiplas variáveis. Que interessante, estas habilidades são do SER Humano, ou seja, são desenvolvidas, afloradas a partir do momento em que estamos conscientes da realidade. Como pensar criativamente? Colaborar de que forma, se estou olhando para o crescimento da “grama do vizinho”. Como ser resiliente se não tenho paciência, se não tenho interesse em estudar variáveis que me obrigam a sair da “zona de conforto”? E a empatia, se não me conheço o que dirá do outro?

Esta é a questão chave: Quem somos nós? Você já se fez essa pergunta? Muitos não sabem perguntar, apenas julgar e questionar a realidade apresentada pelas notícias que transitam nas “baixas” frequências. Naquelas onde a informação é manipulada para desencorajá-lo a aprender a fazer as perguntas certas. Sim, quando fizer as perguntas certas, as respostas automaticamente virão.

Quando competimos acionamos a lei dos “predadores”.

Temos tudo o que necessitamos, apenas esperando que possamos reconhecer e extrair o melhor do que já nos foi dado. Sim, não precisamos competir por uma oportunidade de trabalho ou por ter algo material.

Quando fazemos isso, acionamos a lei da vibração. O universo é regido por leis. Esta lei diz que tudo vibra, tudo está em movimento, pois tudo é energia. Então quando queremos competir, significa que você quer algo que não tem, logo que alguém possui. Todo a sua energia é colocada no outro, no suposto adversário criado na sua própria mente. A resposta do universo é perfeita, você obterá mais disso, pois recebe exatamente o que emana. Então mais “predadores” aparecerão na sua vida, para disputarem da mesma fatia.

E assim a humanidade vive a milhares de anos. A miséria começa na mente e então começa a tomar forma no mundo material.

A Nova Era, O Ser Colaborativo.

O ser colaborativo, ou seja, o SER humano consciente desta premissa, de que tudo o que ele faz impacta na própria vida e no planeta é a chave que permitirá rompermos com este ciclo vicioso de miséria, de falta, de escassez.

Os sinais externos são positivos e reforçam esta verdade, como aponta por exemplo, uma pesquisa que ouviu mais de 2000 brasileiros onde 92% consideraram como habilidades mais importantes no curto prazo, a Colaboração, seguida da Resiliência (92%) e da Criatividade (91%). Outras habilidades que também foram apontadas como competências profissionais urgentes, foram análise de dados (90%), empatia (89%) e inclusão (83%).

Enquanto nas organizações os entrevistados brasileiros acreditam que a prioridade deva ser focada na solução de questões sociais e ambientais, como assuntos globais de saúde (79%), mudança climática (63%) e redução das desigualdades socais (70%).

Fonte da Pesquisa: “Série Global Stakeholder – O Futuro do Trabalho, Agora” – Salesforce.